Implante-Blog

Para quem sofre com a calvície, o implante capilar é a melhor solução para reparar os transtornos da perda de cabelo e devolver a identidade visual do indivíduo de forma natural.

Sendo um inconveniente que afeta milhares de pessoas ao redor do mundo, as técnicas de implante capilar estão em constante evolução e hoje apresentam resultados satisfatórios a todos os pacientes.

Mas entre tantas informações e mitos sobre o implante capilar, existem diversos equívocos sobre o tratamento que, ao invés de ajudar, dificultam o entendimento do paciente.

Por isso nós vamos te explicar tudo o que você precisa saber, desde o início do tratamento até os cuidados com seu cabelo novo. Siga lendo!

Por que ocorre a perda de cabelo?

O principal fator da calvície é a genética. Porém, ao contrário do que muitos pensam, ela não está relacionada apenas com a transmissão de genes entre pais e filhos — nossa arquitetura genética é muito mais complexa, o que pode levar a queda de cabelo independente da herança genética de primeiro grau.

Os hormônios masculinos também possuem alta relevância no diagnóstico da calvície: ao chegar à raiz capilar, a testosterona pode sofrer reações que reduzem a velocidade em que as células se multiplicam, afinando os fios e retardando, ou até mesmo matando, os fios de cabelo.

Além dessas duas principais causas da queda de cabelo, o problema também pode se agravar por questões psicológicas, nutricionais ou por doenças específicas do couro cabeludo que precisam ser diagnosticadas pelo médico especialista.

O que é o Implante Capilar?

É um procedimento que consiste no enxerto de unidades capilares nas áreas onde predomina a calvície.

Para realizar o tratamento, o médico busca pelos folículos capilares mais fortes e saudáveis do próprio paciente. Entenda como funciona a técnica:  

Método FUE

A técnica FUE (Follicular Unit Extraction) surgiu em 2002 a partir de pesquisas na área de implante capilar. Por oferecer o mínimo de danos aos pacientes, esse é o procedimento mais indicado na maioria dos casos.

A sua principal vantagem é que não há cicatriz linear aparente. Como o instrumento utilizado é menor que 1 milímetro, a cicatriz é puntiforme—semelhante a um ponto—, permitindo que o paciente utilize cabelos curtos na área doadora.

Além disso, as dores que podem surgir no pós-operatório são bem menores com a utilização da técnica FUE. Por se tratar de um método menos invasivo, ele exclui a necessidade de retirar uma parte do couro cabeludo e de fazer pontos na área.  

Por se tratar de uma cirurgia altamente especializada: requer uma equipe preparada e precisa ser realizada no ambiente hospitalar, porém o paciente não precisa se preocupar com internação, recebendo alta no mesmo dia.   

O resultado final do tratamento leva de 6 a 12 meses para acontecer, porém o paciente já pode começar a perceber os novos fios com cerca de 3 meses após a operação.

Como é o pós-operatório?

Cerca de uma hora após a cirurgia o paciente já pode deixar o hospital sem nenhum tipo de curativo e com o aspecto totalmente natural.

Contudo, existe a possibilidade de ocorrer um inchaço pós-operatório, o qual assusta muito os pacientes ao saírem do hospital, porém não há necessidade de preocupação: o inchaço é uma ocorrência bastante comum que pode permanecer pelos primeiros dias após a cirurgia.

Para amenizar os efeitos do inchaço e acelerar a recuperação, é importante seguir as recomendações médicas e tomar as medicações indicadas.

Quais os primeiros passos para o tratamento?

Primeiramente, o paciente precisa se consultar com o médico especialista: este irá fazer um diagnóstico adequado sobre o caso e indicar qual o melhor tratamento — lembre-se que a queda de cabelo é bastante comum e não são todos os casos em que o implante capilar é indicado.

Nessa primeira avaliação, o profissional irá fazer uma avaliação médica detalhada e analisar os fios existentes, os quais serão utilizados no procedimento de transplante capilar.

Ao final da consulta, o médico solicitará alguns exame pré-operatórios, os quais, em decorrência da avaliação médica, podem variar para cada paciente.

Para saber mais informações e tirar outras dúvidas, baixe nosso e-book sobre implante capilar.

Ou se preferir, entre em contato conosco diretamente pelo telefone, e-mail ou por nossas redes sociais!